Justiça decide nomear aprovado por ter sido preterido ilicitamente em concurso público

No Pernambuco, o Tribunal Regional do Trabalho condenou a COMPESA – Companhia Pernambucana de Saneamentos a empossar candidato aprovado ao cargo de Analista de Gestão – especialidade advogado, aprovado no cadastro de reserva, pois ficou provado que ainda dentro do prazo de validade do certame, a empresa contratou, via licitação, escritório de advocacia para realizar serviços jurídicos. Na ação judicial o juiz decidiu que o candidato aprovado estava sendo substituído pelo escritório de advocacia terceirizado.

Leia mais…

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *